sexta-feira, 1 de março de 2013

Lo Jong Tsi Je Ma (Oito Versos Que Adestram A Mente)


Texto budista tibetano

Langri Tenpa


(Adaptação do inglês: Davi. T. F. de Almeida)

1.
Com a determinação de no bem-estar
De todos os seres viventes,
Os quais do que a joia mais preciosa
São mais excelentes, investir,
Possa eu sempre ajuda amistosa prestar,
Sempre a eles subserviente.

2.

Sempre que com outros associar-me
Possa eu o menos importante de todos
Considerar-me
E do fundo de meu coração
Considerar como supremos
Os outros, em meu detrimento.

3.
Que em cada ação possa eu sondar em minha mente,
E tão logo as ilusões surjam
Colocando a mim e aos outros em perigo
Possa eu desafiá-las e expulsá-las
Firme, resoluta e resignadamente.
4.
Se com homens perversos deparar-me,
Oprimidos por violências e angústias,
Como um raro e precioso tesouro encontrado,
Possa eu mais que tudo estimá-los.

5.
Quando outros, por inveja, me maltratarem,
Com difamações, abusos e afins,
Possa eu sofrer a perda,
E dar-lhes a vitória, no fim.

6.
Quando aquele a quem dei ajuda,
E mui confiantemente
Beneficiou-se dela,
Ferir-me profundamente
Possa eu vê-lo como meu supremo mestre.

7.
Em suma, possa eu
Direta e indiretamente
A todas as minhas mães
Oferecer minha ajuda e felicidade dar,
Possa eu seus sofrimentos e reações ruins,
Sobre meus ombros levar.

8.
Possa tudo isso permanecer puro
Tendo sempre em mente a senda dos Oito Caminhos,
E, percebendo tudo o que me rodeia
Como ilusão,
Que eu possa, ileso,
Da Prisão dos Ciclos liberto ser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário